Volta às aulas para a criança com T21

Começo de ano letivo: para a maioria das crianças, há um misto de alegria e ansiedade no retorno à rotina escolar. E quanto às crianças com T21? Como podemos ajudá-las na readaptação a essa rotina? Seguem aqui algumas dicas importantes – que, por sinal, valem para toda e qualquer criança.

DURANTE AS FÉRIAS (mas também nos feriados, nos finais de semana e nos períodos do dia em que a criança não está na escola)

– Mantenha a rotina o máximo possível. Isso inclui horário de acordar e dormir; alimentação saudável e nos horários usuais; interação com os amigos; ter hora para brincar e para ajudar nas tarefas domésticas. Seguir uma rotina de hábitos e atividades evita, na volta às aulas, a dificuldade de acordar, de manter o foco, de ter disposição, de alimentar-se adequadamente, de interagir com os amigos, de realizar atividades requeridas pelo professor.

– Estimule brincadeiras que ajudem a desenvolver as habilidades para o aprendizado. Isso inclui jogos de memória, atividades físicas interativas, atividades artísticas, estimulação da fala e da escrita (contar e escrever histórias, por exemplo).

– Relembre a criança sobre sua vida escolar. Fale sobre seu professor, seus colegas, seu dia-a-dia na escola. Deixe que ela brinque com os materiais escolares, que reveja seus trabalhos, que relate sobre suas experiências com eles. Assim, não há rompimento de vínculo com o ambiente escolar e com as pessoas que dele fazem parte.

PREPARAÇÃO PARA A VOLTA

– Alguns dias antes da volta às aulas, vá informando à criança sobre quantos dias faltam para isso, mostrando entusiasmo. “Hoje é quarta-feira, dia 01 de fevereiro. Daqui a 5 dias, as aulas recomeçam. Eba!”. Faça a contagem regressiva para as aulas, sempre mostrando positividade.

– Converse com a criança sobre o que ela vai fazer na escola. “Você vai aprender coisas novas, rever a professora Ana, brincar com seus amigos Felipe e João, que você não encontrou nas férias….”. É importante reforçar o concreto, ou seja, as atividades que ela fará, as pessoas queridas com quem ela vai aprender, brincar.

– Deixe a criança falar sobre seus sentimentos em relação à separação e à quebra de rotina das férias. Deixe claro, se ela manifestar esses sentimentos, que está tudo certo em sentir saudade, em querer ficar perto, em ter vontade de chorar… Conforte-a e dê a ela a segurança de que ela voltará para casa, passeará outras vezes, e de que o dia-a-dia na escola vai ser legal para ela.

– Garanta que, no dia anterior à volta as aulas, a criança tenha um dia tranquilo. É importante uma boa alimentação, além de uma boa noite de sono. Você pode ajudá-la a arrumar os materiais escolares e a deixar a roupa para o dia seguinte separada.

O PRIMEIRO DIA

– Com a mesma positividade, aja da forma mais tranquila possível, transmitindo segurança. Colocar músicas de que ela gosta, cantando com ela, enquanto você a ajuda a vestir-se e a tomar o café da manhã, é uma ótima opção. Ao deixá-la na escola, procure ir até a sala de aula com ela, levando-a ao encontro do professor e dos amigos. Deixe claro que irá buscá-la no final do período e programe algo para fazerem juntos após a escola, um momento especial de compartilhamento, com a família, sobre o dia. Comunique esse evento a ela: “Quando você sair da escola hoje, vamos passar na casa da vovó pra contar a ela como foi seu dia!”.

– Toda escola que realiza um bom trabalho com inclusão sabe que o acolhimento é essencial. Ao professor e aos demais adultos do meio escolar cabe garantir um ambiente de acolhimento, segurança e interação. As atividades do primeiro dia devem privilegiar esse bem-estar e a redução do “stress”. Seja parceiro(a) da escola: você conhece a dinâmica do seu filho. Sugira ao professor brincadeiras e dinâmicas que foram feitas durante as férias; fale antecipadamente com ele sobre alguns eventos importantes que aconteceram nesse período, para que ele converse com a criança sobre isso – o que ajuda bastante no acolhimento e na interação.

AO CHEGAR EM CASA

Depois da alimentação e do descanso, peça para ver o que a criança produziu na escola; ajude-a a fazer as lições de casa; organize com ela os materiais para o dia seguinte. E o essencial: relaxe com ela, divirta-se com ela. Lembre-se de que ambientes e atividades estimuladoras favorecem o aprendizado cognitivo e emocional. E de que esses momentos tão preciosos, de troca de conhecimento e afetividade, são, muito frequentemente, um grande aprendizado para nós, adultos.

Uma excelente volta às aulas!

Adriana Silveira | Pedagoga especialista em Neurociência aplicada à Educação | Assessora pedagógica do ELO 21.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Novidades

Receba em seu email as novidades e dicas da Elo21.

Banner cartilha