Você sabia que o diagnóstico de Trissomia 21 não é identificado no exame do pezinho?

Dra. Carla Franchi Pinto*

 

Na prática do dia-a-dia, não é raro as famílias nos perguntarem como o diagnóstico de Trissomia 21 (Síndrome de Down) não foi identificado no exame do pezinho. Apesar da mídia abordar esse tema e os laboratórios que realizam o exame do pezinho explicarem as anomalias que investigam, a confusão ainda existe. É importante explicar que a Trissomia 21 tem seu diagnostico laboratorial confirmado pelo exame do cariótipo, no qual uma amostra de sangue da criança é cultivada no laboratório e os cromossomos analisados. Outro método é a utilização de marcadores genéticos dos cromossomos 21 nos quais se identifica a presença de três marcadores em cada célula do bebê.

O exame para a confirmação laboratorial da Trissomia 21 é feito frente a suspeita clínica e para que se identifique o mecanismo da Trissomia (trissomia simples ou regular, translocação e mosaico), para que se ofereça o aconselhamento genético preciso à família. O cariótipo também é importante para auxiliar a família no processo de aceitação do diagnóstico.

A política nacional de triagem neonatal preconiza que se faça em todo o recém-nascido, a nível nacional, o teste do pezinho, da orelhinha, do olhinho e do coraçãozinho. O teste do pezinho diagnostica precocemente a fenilcetonúria, a hiperplasia adrenal congênita, a anemia falciforme, a fibrose cística, a deficiência de biotinidase e o hipotireoidismo congênito. Ele passou a ser obrigatório pois são doenças nas quais o diagnóstico e o tratamento precoces impedem o desenvolvimento da deficiência intelectual e complicações graves.

O exame da orelhinha identifica precocemente a deficiência auditiva, assim como o teste do olhinho, ou do reflexo vermelho, detecta alterações oculares que impedem a passagem de luz e de imagem do olho da criança, como, por exemplo, a catarata congênita.

O exame do coraçãozinho mede a oxigenação e frequência cardíaca do bebê sendo um teste de triagem importante de alterações cardíacas.

Alguns laboratórios particulares chegam a oferecer até 50 doenças, além das seis referidas, incluindo algumas infecciosas dentro do escopo do exame do pezinho. Portanto, as alterações cromossômicas não estão contidas neste exame e é fundamental que as crianças com Trissomia 21 realizem a triagem, uma vez que também são suscetíveis a essas anomalias genéticas como qualquer outra.

 

*Médica geneticista e professora do Departamento de Ciências Patológicas da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Novidades

Receba em seu email as novidades e dicas da Elo21.

Banner cartilha